Home   Sobre

Sobre

O Salão Internacional de Humor de Piracicaba sob responsabilidade da Secretaria da Ação Cultural da Prefeitura do Município de Piracicaba, São Paulo/Brasil, surgiu em 1974, quando os brasileiros ainda conviviam com os sabores da amarga ditadura militar e da vontade de se criar uma mostra de humor agregada ao Salão de Arte Contemporânea, tendo como protagonistas um grupo de amigos piracicabanos, jornalistas, artistas, intelectuais, amantes das artes, do humor e da cidade, que se reuniam no famoso “Café do Bule” para trocar idéias e debater temas da cidade, do Brasil e do mundo.

Pioneiros

Em 1973  Alceu Marozzi Righeto, Adolpho Queiroz e Carlos Colognese, decidem visitar a sede do jornal “O Pasquim”, no Rio de Janeiro, para apresentar a idéia da mostra ao cartunista Jaguar, que liberou seus desenhos originais  para a realização da exposição. Como os desenhos do cartunista não foram liberados pela editora que os detinha, a referida mostra nunca ocorreu.

Sem desanimar, o grupo, repaginado, com Alceu,  Adolpho, Colognese, Roberto A. Cêra, Ermelino Nardin e Luis Mattiazzo, ganhou o reforço de Luiz Antônio Lopes Fagundes, secretário de Turismo e do então prefeito Adilson Benedito Maluf, que apoiaram incondicionalmente a iniciativa. O grupo  conseguiu convencer os editores do “O Pasquim” a participarem do evento através de  Jaguar, Millôr Fernandes, Paulo Francis e Zélio Alves Pinto apostando na idéia de que o Salão seria o celeiro de grandes profissionais do cartunismo e humor brasileiros. A partir daí, iniciou-se um diálogo aberto e competente entre Piracicaba e os maiores cartunistas do Brasil. Em 1974, realiza-se o 1° Salão de Humor de Piracicaba, com a participação de Millôr, Ziraldo, Zélio, Jaguar, Fortuna e Ciça.

Internacional

Com o sucesso do Primeiro Salão veio a exposição do Cartunista Francês Cloude Molliterni, dando início ao destaque do Salão de Piracicaba na mídia Internacional, e o Salao passou  a  receber trabalhos de diversos países, incluindo amostras dos cartunistas Sergio Aragonez, da revista MaD, Goefrey Dickson da revista Inglesa Punch e Hermenegildo Sabat do Jornal Argentino El Clarin.

Revelações

O sucesso de Publico e a qualidade dos trabalhos resultou na revelação de grandes talentos como Chico Caruso, Alci, Laerte, Angeli e tantos outros cartunistas que através desses anos tiveram sua arte reconhecida nas exposições realizadas ao longo desses anos.

Sucesso garantido

Anualmente, o Salão apresenta edições consecutivas de sucesso, graças também a esses famosos cartunistas brasileiros que deram sua contribuição na transformação do Salão de Piracicaba em um dos mais importantes encontros do humor gráfico do Brasil e do exterior. Entre eles: Ziraldo, Fortuna, Millôr, Zélio, Henfil, Jaguar, Luis Fernando Veríssimo, Paulo e Chico Caruso, Angeli, Laerte, Glauco, Edgar Vasques, Jaime Leão, Santiago, Gual, Jal, Edu Grosso, Fausto Longo, Erasmo e tantos outros talentos.

Com o intuito sempre de promover e revelar novos talentos e próximo de completar 40 anos, o Salão Internacional de Humor de Piracicaba hoje possui um rico acervo, constituído de 300 trabalhos com valor histórico inestimável, um testemunho da História da Humanidade nessas ultimas 4 décadas, retratando as diversas transformações sociais, ambientais, econômicas, políticas e culturais do Brasil e do mundo. Hoje o acervo é acolhido pelo Centro Nacional de Pesquisa e Documentação do Humor de Piracicaba – CEDHU, localizado no Parque Engenho Central em sede Própria e sob a Direção do premiado cartunista Eduardo (Edu) Grosso, que em parceria com o Presidente do 37º Salão e também seu idealizador Eng. Luiz Antônio Lopes Fagundes, selecionaram uma equipe de profissionais competentes para transformar o Salão Internacional de Humor de Piracicaba no maior encontro de artistas do Humor Gráfico.

 

Funções e atividades: Ações pertinentes ao salão de humor, comissões para organização, seleção e premiação, exposições (Projeto Rir e Refletir).

Endereço: Avenida Maurice Allain, 454 – Vila Rezende

Telefone: (19) 3403-2620